índiceitem superior

item anteriorpróximo item

 

Parte IV: Corpo rígido sob a ação de torques internos de roda de reação.

 

1)      Mostra-se, neste exemplo, a ação de torques oriundos de um sistema de rodas de reação. A matriz de inércia do corpo é diagonal, com elementos iguais a 10, 15 e 20, atitude inicial e velocidade angular nulas. É suposto que uma roda é orientada no eixo z, com velocidade angular inicial nula e momento de inércia em z de 1 kg m2. Aplica-se um torque (exagerado) de 2 Nm nesta roda, a partir do instante t = 10s até 60s, seguido de um torque nulo até 140s quando o torque é comutado para –2 Nm até 190s quando então é desligado. A Figura B-21 mostra a aceleração e desaceleração da roda nos intervalos de acionamento. A Figura B-22 mostra o momento angular total deste corpo, que é nulo, pois a velocidade angular inicial é nula. Uma vez que o torque gerado é interno, não há variação do momento angular. A Figura B-23 mostra a aceleração e desaceleração sofrida pelo corpo neste exemplo. Nota-se que a reação ao torque aplicado à roda é em sentido contrário a este.

 

Fig. B-21 – Velocidade angular da roda de reação.

 

Fig. B-22 – Momento angular total (satélite e roda).

 

Fig. B-23 – Velocidade angular do corpo sujeito a torque de reação.